Secretário-geral da ONU pode perder abertura da Olimpíada

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, informou à China que pode não comparecer à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim em agosto devido a um conflito de datas, disse uma porta-voz nesta quinta-feira. A China será a sede da próxima edição dos Jogos Olímpicos e os líderes mundiais enfrentam a pressão de ativistas de direitos humanos pelo boicote da cerimônia de abertura em Pequim. Entretanto, a porta-voz da ONU contou que Ban disse à China há alguns meses que não poderia aceitar o convite por causa de problemas de horários.

Reuters |

'O secretário-geral comunicou o governo (da China) há alguns meses de que não estava em posição de aceitar o convite para comparecer a este importante evento, devido a problemas de agenda', disse porta-voz da ONU Marie Okabe em uma coletiva de imprensa.

Okabe se recusou a detalhar o conflito de horários na agenda do secretário.

A China têm sido duramente criticada pelos governos ocidentais por uma repressão sangrenta no Tibet e têm sido acusada por ativistas de direitos humanos de não fazer o bastante para acabar com o derramamento de sangue na região de Darfur.

O presidente norte-americano, George W. Bush, lida com pressão dos três pré-candidatos à Casa Branca para boicotar a cerimônia de abertura. Bush disse nesta semana que ele planeja comparecer à cerimônia, e falar sobre liberdades religiosas.

Separadamente, o parlamento europeu fez um apelo aos líderes da União Européia para que boicotassem a cerimônia de abertura dos Jogos de Pequim a menos que a China inicie diálogos com o Dalai Lama para encerrar os conflitos no Tibet.

(Reportagem de Louis Charbonneau)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG