Secretário-geral da OEA quer ser presidente do Chile

Lima, 17 mai (EFE) - O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, admitiu que gostaria de ser candidato à Presidência de seu país em 2009, mas lembrou que a decisão não cabe a ele. Em entrevista publicada hoje pelo jornal La República, por ocasião de sua participação como convidado na 5ª Cúpula América Latina-Caribe-União Européia (EU-LAC, em inglês), Insulza considerou muito prematuro fazer conjeturas sobre uma possível candidatura. Não posso tomar uma decisão. Indicam-me como candidato do PS (Partido Socialista), mas o PS é membro de uma coalizão formada por quatro partidos e os outros três não foram consultados sobre o tema.

EFE |

Seria muito prematuro dizer alguma coisa", assinalou.

No entanto, apesar de ter dito estar "contente" com seu cargo atualmente, reconheceu continuar interessado na política.

"Naturalmente que eu gostaria (de ser candidato), como qualquer pessoa que dedicou toda a sua vida à política gostaria. Se o senhor me pergunta se estou ansioso, não estou, estou disposto se forem dadas as circunstâncias e estas, como lhe digo, estão muito longe de ocorrer", ressaltou. EFE ar/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG