Secretário-geral da OEA fecha detalhes de missão de chanceleres a Honduras

Washington, 7 ago (EFE).- O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, fechará hoje os últimos detalhes e a composição da missão de chanceleres que viajará para Honduras, para tentar convencer o novo Governo do país a aceitar o Acordo de San José.

EFE |

Insulza pretende determinado todos os pontos ao longo desta manhã e anunciar os detalhes da missão de alto nível à tarde, disseram à Agência Efe fontes ligadas a ele.

O secretário-geral conversou com vários chanceleres para averiguar se estariam disponíveis e dispostos a integrarem a missão, assim como para organizar as datas nas quais os ministros latino-americanos poderiam viajar para Honduras.

Insulza disse que buscará um "equilíbrio adequado" na composição da missão de chanceleres, para envolver membros dos diferentes grupos regionais da América Latina e também não quer mais de seis ministros de Exteriores na delegação que irá a Honduras.

O objetivo de Insulza é enviar a missão de chanceleres "o mais rápido possível", apesar de querer obter antes as "garantias" necessárias do Governo de Micheletti, para que a delegação de alto nível possa viajar "sem problemas" ao país centro-americano.

Até o momento, o único chanceler que está confirmado na delegação é o costarriquenho, Bruno Stagno, de acordo com o presidente Óscar Arias, o mediador da crise de Honduras e que propôs o Acordo de San José como solução.

A missão de chanceleres tem o objetivo de propor ao novo Governo de Honduras que assine o Acordo de San José, que inclui um Governo de unidade e reconciliação nacional liderado pelo presidente deposto Manuel Zelaya, o adiantamento das eleições, uma anistia geral para os crimes políticos, entre outros aspectos. EFE cai/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG