Secretário-geral da OEA diz estar otimista com acordo em crise na Bolívia

Santiago do Chile, 21 set (EFE) - O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, se mostrou otimista com que se alcançará um acordo entre as partes para superar a crise política da Bolívia, segundo uma entrevista publicada hoje pelo jornal chileno El Mercurio. Acho que há uma disposição de diálogo que se esteve realizando (...

EFE |

). A verdade é que sou otimista", afirmou Insulza na Bolívia, onde chegou na sexta-feira para participar das conversas para resolver a crise nesse país.

"Acho que há boas razões para pensar em que se pode chegar a um acordo, apesar de a situação ser tensa (...) acho que todo mundo está trabalhando de boa vontade", afirmou.

Insulza questionou ainda que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, tenha anunciado 48 horas antes da chefe de Estado chilena, Michelle Bachelet, que exerce a Presidência pro tempore da União de Nações Sul-americanas (Unasul), a reunião "extraordinária" de governantes desse mecanismo para analisar a crise boliviana.

"Na verdade, eu sabia que a presidente Bachelet pensava em convocar uma reunião extraordinária da Unasul. E, naturalmente, não correspondia a ninguém dizer nada enquanto a própria presidente não dissesse", disse Insulza.

O secretário da OEA se referiu assim à reunião realizada na última segunda-feira em Santiago do Chile e da qual participaram nove presidentes, dois chanceleres e um embaixador.

O problema "esteve em que o presidente Chávez informou sobre a cúpula antes de a presidente anunciar. Quero pensar que foi um erro", assegurou. EFE pg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG