O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, declarou nesta segunda-feira que está disposto a viajar o mais breve possível para Honduras, após o retorno do presidente deposto Manuel Zelaya, refugiado na embaixada do Brasil.

"Informei a Zelaya e ao governo de fato de minha intenção de viajar para lá o mais breve possível, os voos disponíveis são amanhã (terça-feira)", declarou Insulza ao conselho permanente da OEA, reunido em sessão extraordinária.

"Ao que parece, não há obstáculo, mas quero esperar que haja confirmação disso", acrescentou o secretário-geral da OEA.

O surpreendente retorno de Zelaya a Tegucigalpa "apressa a necessidade de diálogo para resolver esta situação e acabar de uma vez com ela", pediu Insulza.

"Fazemos um pedido para que não haja confronto", insistiu Insulza.

Milhares de simpatizantes de Zelaya saíram às ruas da capital assim que tomaram conhecimento da notícia do retorno do presidente deposto, que assegurou ter tomado essa decisão para negociar uma saída para a crise.

du-jz/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.