SANTIAGO (Reuters) - Sem uma boa colocação nas pesquisas de opinião, José Miguel Insulza, secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), abandonou a disputa presidencial no Chile na segunda-feira. Agora, apenas dois candidatos disputam a eleição. Com a saída de Insulza, o ex-presidente Eduardo Frei, que governou a coalizão de centro-esquerda Concertación de 1994 a 2000, é agora o principal rival do candidato favorito, o bilionário de centro-direita Sebastian Pinera.

Insulza disse em entrevista coletiva que estava pedindo aos "partidos da Concertación para não considerarem meu nome quando decidirem sobre um candidato presidencial para 2009." Ele lançou seu apoio a Frei.

Insulza afirmou que permanecerá em seu posto na OEA. A saída dele ocorre após uma pesquisa divulgada na semana passada mostrando-o atrás de Frei na eleição. Segundo a pesquisa, Pinera consolidou a liderança e é o favorito.

Outro ex-presidente, Ricardo Lagos, inicialmente o principal candidato da Concertación, também se retirou da disputa em dezembro.

A coalizão do governo da presidente Michelle Bachelet tem sido afetada nos últimos meses por protestos populares e escândalos que dividiram seus membros. A direita aparece nas pesquisas com números não vistos desde que o general Augusto Pinochet foi deposto em 1990. Bachelet não pode se candidatar à reeleição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.