Secretário ONU lamenta divisão de Conselho e se reunirá com ministros árabes

Nações Unidas, 5 jan (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, lamentou hoje a divisão do Conselho de Segurança sobre a crise na Faixa de Gaza e anunciou que nesta segunda-feira se reunirá com os ministros de países árabes que viajaram para Nova York para intensificar as negociações diplomáticas.

EFE |

"Dada a crucial conjuntura à qual chegamos na busca do cessar-fogo, apelo a todos os membros da comunidade internacional para que se mostrem unidos e comprometidos para acabar com esta crise", afirmou Ban através de um comunicado.

Em referência à divisão existente no Conselho de Segurança sobre este conflito, Ban também assegurou que trabalhará "ativamente com seus membros e outras partes-chave, em particular com os líderes árabes, com os quais se reunirá na segunda-feira na sede das Nações Unidas para facilitar que se chegue a um consenso".

O secretário-geral também pediu ao enviado especial das Nações Unidas para o Oriente Médio, Robert Serry, que de Jerusalém o deixe a par da situação no terreno, já que está "extremamente preocupado pela deterioração da situação humanitária" em Gaza.

Além disso, convocou uma reunião de assessores "como parte da resposta das Nações Unidas a todos os aspectos da crise".

Ban assegurou que as "Nações Unidas tem que desempenhar um papel importante para deter a violência em Gaza".

"Estamos em estreito contato com as autoridades israelenses para presioná-las e que abram não só o cruzamento de Kerem Shalom, mas também Nahal Oz e Karni, para permitir em particular a entrada de trigo e combustível para a central elétrica, assim como outras provisões essenciais".

Segundo fontes diplomáticas, está previsto que nas próximas horas cheguem às Nações Unidas os ministros de Exteriores da Líbia, Marrocos, Líbano, Iêmen, Arábia Saudita e Jordânia, assim como o palestino, Riad al-Maliki.

A eles se unirá na terça-feira o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, segundo as mesmas fontes.

EFE mgl/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG