Secretário de Transportes argentino renuncia em meio a críticas por acidente

Juan Pablo Schiavi foi criticado por atribuir magnitude da tragédia na qual morreram 51 à sobrecarga de passageiros nos primeiros vagões

iG São Paulo |

O secretário de Transportes argentino, Juan Pablo Schiavi, renunciou nesta quarta-feira ao cargo por causa do acidente de trem que deixou 51 mortos e mais de 700 feridos no dia 22 de fevereiro.

A renúncia de Schiavi era esperada, devido às muitas críticas que recebeu por seus comentários sobre o acidente de trem, tanto da oposição como das fileiras do governo.

EFE
Ex-secretário Juan Pablo Schiavi renunciou após críticas ao Executivo (22/2)
Horas depois do acidente, Schiavi atribuiu a magnitude da tragédia à sobrecarga de passageiros nos primeiros vagões e comentou que em um feriado o número de mortos teria sido menor.

O ex-secretário de Transportes, que se recupera da operação de coração à qual se submeteu no dia 29, está proibido de sair do país em razão de uma ordem ditada pelo juiz Claudio Bonadío, que investiga a responsabilidade do governo no acidente.

Assista: Imagens mostram resgate de passageiros de acidente na Argentina

O governo, que se apresentará como autor no processo judicial, interveio na empresa concessionária que operava o serviço nas proximidades do local do acidente, a Trens de Buenos Aires (TBA), propriedade dos irmãos Cirigliano, um dos grupos de transporte mais poderosos do país.

Investigação

Uma investigação sobre as causas do acidente revelou erros técnicos que confirmam as graves deficiências do sistema de trens na capital portenha.

A investigação da Comissão Nacional de Regulação do Transporte (CNRT) revelou que o para-choques hidráulico da estação de Once, que deveria ter amortecido o impacto do trem acidentado, não funcionava. O para-choques atuou "apenas como um impedimento estático ao avanço", ou seja, como uma parede, de acordo com o jornal La Nación.

O acidente aconteceu em 22 de fevereiro quando um trem procedente da província de Buenos Aires e carregado com cerca de 1,5 mil passageiros se chocou contra uma plataforma da estação de Once, no centro da capital.

Transporte: Acidente de trem na Argentina provoca debate sobre segurança

A manutenção do para-choques, das vias e do material rolante, lembrou o La Nación, é responsabilidade da empresa concessionária, Trens de Buenos Aires (TBA), que sofreu uma intervenção nesta semana pelo governo da presidente Cristina Kirchner após duras críticas de negligência do Executivo.

Reprodução/Angel Poidomani
Imagem publicada no Facebook e reproduzida pelo La Nación mostra dezenas de passageiros presos em vagão após acidente
*Com EFE

    Leia tudo sobre: argentinatremacidenteestação oncebuenos aires

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG