Secretário de Segurança dos EUA nega ter contratado ilegais

Washington, 11 dez (EFE).- O secretário de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Michael Chertoff, negou hoje qualquer responsabilidade na contratação de imigrantes ilegais que trabalharam na limpeza de sua casa durante quase quatro anos, segundo denunciou o jornal The Washington Post.

EFE |

O porta-voz do Departamento de Segurança Nacional (DHS), Russ Knocke, disse que os Chertoff obtiveram garantias do proprietário da firma de limpeza encarregada de contratar os trabalhadores, James Reid, "que qualquer funcionário que ele despachava a sua casa estava autorizado para trabalhar nos EUA".

No entanto, segundo o "Washington Post", o Serviço Secreto, dependente do DHS, "verificou" durante quase quatro anos "os documentos" dos empregados da firma de limpeza que chegavam à casa dos Chertoff.

"Cada contratista nos EUA tem a responsabilidade de assegurar que seus trabalhadores são legais", ressaltou o porta-voz do DHS.

Por sua parte, Reid disse ao jornal que, além de prestar serviço de limpeza na casa de Chertoff, seus trabalhadores limparam as casas do ex-presidente Bill Clinton e sua esposa Hillary, e da ex-secretária de Estado Madeleine Albright.

Os registros da firma de Reid mostram que Chertoff e sua esposa Meryl pagaram US$ 185 por cada um dos serviços da empresa em sua residência em um subúrbio de Maryland. EFE jab/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG