Secretário de Justiça de Bush pode ser processado por detenção abusiva

O ex-secretário de Justiça do governo de George W. Bush, John Ashcroft, pode ser processado pela detenção abusiva de uma testemunha potencial dentro da investigação dos atentados de 11 de setembro, segundo uma corte de apelações federal americana.

AFP |

Uma corte de apelações de São Francisco confirmou uma decisão de 2006 que envolve Abdulah Al-Kidd, um americano detido em 2003 e mantido em uma peniteciária de segurança máxima durante 13 meses para ser utilizado como testemunha em um processo contra o suspeito Sami Omar Al Hussayen.

Preso em 16 de março de 2003 no aeroporto Dulles de Washington quando se preparava para embarcar com destino à Arábia Saudita, Abdulah Al-Kidd já era objeto de vigilância pelo FBI, órgão com o qual cooperava.

Ele foi liberado sem acusações e nunca foi chamado para depor no processo de Sami Omar Al Hussayen.

Al-Kidd denunciou que suas tentativas de obter emprego são recusadas pelo fato do caso judicial não ter sido elucidado.

A ação dele é contra o uso de uma lei promulgada depois dos atentados de 11 de setembro de 2001 por iniciativa do então secretário de Justiça, John Ashcroft, que permitia a prisão de eventuais testemunhas de maneira preventiva.

Ashcroft alega imunidade no caso.

"Os autores de nossa Constituição teriam desaprovado o fato de um cidadão americano ser preso por ser nada mais que uma testemunha", escreveu o juiz Milan Smith no veredicto.

vmt/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG