Secretário de Estado vaticano critica separação das famílias

Cidade do Vaticano, 4 abr (EFE) - O secretário de Estado vaticano, Tarcisio Bertone, demonstrou hoje sua preocupação com a tendência das famílias à desagregação cada vez maior conforme o casal se aproxima da idade adulta, uma fase na qual precisam de amor e compreensão mútuos.

EFE |

O cardeal Bertone se expressou assim em seu discurso durante a segunda jornada da Assembléia Plenária do Conselho Pontifício para a Família, que tem como lema "Os Avós: Seu Testemunho e Presença na Família".

Sobre a figura do avô, o cardeal ressaltou sua "força reconfortante e o seguro apoio moral" que oferecem pessoas que "transmitem valores duradouros às novas gerações".

"Os idosos nos lembram de que a vida na terra é uma parábola com um início, um desenvolvimento e um fim, e que para chegar à plenitude da vida esta deve ter como referência valores não efêmeros", disse Bertone.

O cardeal acrescentou que, em uma sociedade onde muitos jovens levam vidas cujos valores éticos "são cada vez mais superficiais e estão dominados pelo hedonismo", a função dos avôs é importante, como uma "autêntica cadeia de transmissão da fé às novas gerações".

O cardeal colombiano Alfonso López Trujillo - presidente do Conselho Pontifício para a Família - não participou da assembléia, pois estava gravemente doente e hospitalizado em um centro médico de Roma.

Esta Assembléia do Conselho Pontifício para a Família pretende revalorizar o papel dos idosos, como disse na quinta-feira em seu discurso o Substituto da Secretaria de Estado, Fernando Filoni, que pediu "o merecido respeito e a confiança necessária (aos mais velhos) para que possam se expressar".

Outro dos objetivos da assembléia é o "relançamento global" da instituição da família, nas palavras do cardeal mexicano Norberto Rivera Carrera. EFE ddt/bf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG