Robert Gates deu entrevista em Hanói. Segundo o secretário, há divergências territoriais que geram instabilidade na região

O secretário de Defesa norte-americano, Robert Gates, quer nesta terça-feira, em Hanói (Vietnã), a presença da Marinha dos Estados Unidos na Ásia, depois de ressaltar que as divergências territoriais colocam em perigo a estabilidade da região.

"As disputas relacionadas a reivindicações territoriais" parecem "colocar cada vez mais em perigo a estabilidade e a prosperidade regionais", disse Gates durante uma reunião com seus colegas da região.

A China mantém relações complicadas com vários países da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean) por causa da soberania das ilhas do Mar da China.

Gates pediu que essas disputas sejam solucionadas "pacificamente, sem força nem coerção, por meio de processos diplomáticos e de cooperação" e respeitando o Direito Internacional.

Ele exortou os países da região a estabelecerem um "código de conduta" para solucionar os conflitos territoriais, indicando que os Estados Unidos estão "dispostos a ajudar nas iniciativas".

O governo chinês, que defende a abordagem bilateral das disputas, já rejeitou qualquer ingerência dos Estados Unidos nesses assuntos, denunciando a presença da Marinha americana no Mar da China meridional e seus exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul no Mar Amarelo.

Na terça-feira, Gates reiterou que a Marinha manterá sua presença nessas águas, que os Estados Unidos consideram internacionais.As manobras navais americanas são "um componente habitual e essencial de nosso compromisso na região", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.