Secretário de Defesa dos EUA não descarta opção militar contra o Irã

Leon Panetta mostrou apoio para que Israel mantenha sua 'superioridade militar' sobre adversários

iG São Paulo |

Diferentemente do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que ainda vê a diplomacia como possível solução para a crise sobre o programa nuclear do Irã , o secretário de Defesa americano, Leon Panetta, ressaltou que uma opção militar contra o país persa não está descartada.

Eleição: Obama critica republicanos que defendem ataque imediato contra Irã

Em discurso ao Comitê de Assuntos Públicos Estados Unidos-Israel (Aipac, na sigla em inglês), Panetta disse que os EUA estão decididos a garantir que Israel mantenha sua "superioridade militar" sobre seus adversários, no momento em que os israelenses enfrentam a ameaça de um Irã com armas nucleares.

AP
Secretário de Defesa americano discursou ao comitê em Washington nesta terça-feira
"Esse é um compromisso inabalável, de que os EUA darão o apoio que for necessário a Israel para manter sua superioridade militar sobre qualquer Estado ou coalizão de Estados, assim como frente a atores não-estatais", disse Panetta ao comitê em Washington.

Ao lembrar que a opção militar deve ser o último recurso, o secretário de Defesa garantiu que os EUA farão “o necessário para proteger nosso povo, nossos aliados e interesses".

Segundo o secretário, Obama já deixou claro que o objetivo de seu governo é "prevenir um Irã nuclear, não só conter um Irã nuclear", algo que até o momento os Estados Unidos tentaram com fortes sanções econômicas com o apoio de seus aliados. 

Discurso: Obama reitera apoio a Israel com ameaça ao Irã, mas defende diplomacia

Em uma referência especial à oposição republicana, que acusa a administração Obama de não ser suficientemente firme com Teerã, Panetta disse que "é fácil falar com dureza, mas atuar com dureza é muito mais sério".

O secretário ressaltou também a importância de trabalhar e atuar "como um só" com Tel Aviv em favor de transformar Israel em um país seguro e soberano.

Ajuda

A ajuda militar americana a Israel solicitada este ano pelo presidente Barack Obama é de US$ 3,1 bilhões (R$ 5,3 bilhões), frente aos US$ 2,5 bilhões (R$ 4,32 bilhões) que existiam quando chegou ao poder em 2009, afirmou Panetta. Ele explicou que os Estados Unidos se comprometeram a dar mais de US$ 30 bilhões (R$ 51,9 bilhões) de ajuda militar a Israel, em 10 anos.

Pró-conflito: Maioria dos pré-candidatos republicanos defende guerra contra Irã

Na Casa Branca, perante Obama, Netanyahu destacou que Israel dever ser "dono de seu destino" no que se refere ao Irã, enquanto o presidente americano lembrou a importância de esgotar a via diplomática pelo alto custo de uma ação militar.

*Com AFP e EFE

    Leia tudo sobre: euaisraelirãprograma nuclearteerãobamanetanyahuleon panetta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG