Secretário de Defesa dos EUA duvida que tropas do país prendam clérigo xiita

Washington, 11 abr (EFE).- O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, expressou nesta sexta-feira suas dúvidas de que o Exército americano prenderá o clérigo radical xiita Moqtada al-Sadr, cuja milícia Exército Mehdi enfrenta tropas do país e do Iraque.

EFE |

"Ficaria surpreso com uma ação para deter-lhe; (Sadr) é uma grande figura política e queremos que se envolva no processo político. Possui muitos seguidores e é importante que ele chegue a fazer parte do processo, se é que já não faz", disse Gates em entrevista coletiva no Pentágono.

As declarações de Gates acontecem no mesmo dia em que o diretor do escritório de Sadr em Najaf (sul do Iraque), o xeque Riad al-Nouri, foi assassinado por um grupo de desconhecidos.

Por outro lado, o chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, o almirante Michael Mullen, que participou com Gates na entrevista coletiva, qualificou Sadr como "um enigma".

"Acho que Sadr claramente é um jogador-chave nisso tudo, apesar de não estar ainda claro para onde se encaminha e qual o impacto que terá a longo prazo", disse Mullen.

Moqtada al-Sadr se opõe abertamente à presença das tropas americanas no Iraque e protagoniza duros combates contra tropas iraquianas.

Gates reiterou hoje que espera poder retirar mais tropas americanas do Iraque ainda este ano, desejo também compartilhado pelo presidente dos EUA, George W. Bush, segundo o secretário de Defesa.

No entanto, Gates afirmou que é preciso ser realista porque "a história do conflito nos demonstrou que temos que estar preparados para o imprevisível, além de sermos cautelosos com qualquer passo que damos".

Bush anunciou ontem uma pausa na retirada gradativa de tropas no Iraque, válida a partir de agosto a fim de avaliar a situação. EFE cai/mac/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG