Secretário da OEA quer concorrer à presidência do Chile

SANTIAGO (Reuters) - O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, disse nesta quinta-feira que planeja disputar a presidência do Chile, onde a governante coalizão de centro-esquerda enfraquece nas pesquisas. Insulza chegou no Chile nesta quinta-feira para se reunir com o bloco de partidos da Concertación, que governa o país desde o final da ditadura do general Augusto Pinochet, de 1973 a 1990.

Reuters |

"Eu estou dando o primeiro passo no momento", disse Insulza à Radio Cooperativa. "Eu vou falar como todo mundo e fazer o que tiver de ser feito. Está apenas começando. Falta ainda um ano para as eleições".

A coalizão Concertación, da presidente Michelle Bachelet, ainda não escolheu um candidato para a eleição presidencial de 2009. Na semana passada, o ex-presidente Ricardo Lagos saiu da disputa e deixou o caminho livre para o ex-presidente Eduardo Frei, enquanto Insulza é visto com simpatia pela extrema esquerda da coalizão.

Pesquisas apontam que o bilionário de centro-direita Sebastian Pinera, da coalizão Alianza, venceria as eleições para presidente, embora analistas dizem que para isso ele terá de formar alianças com centristas independentes. O primeiro turno das eleições será em dezembro de 2009.

Para disputar a presidência do Chile, Insulza terá de deixar em janeiro seu cargo na OEA, a mais antiga organização regional do mundo, composta por 35 países das Américas.

(Reportagem de Rodrigo Martinez)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG