Sebastián Piñera é proclamado oficialmente presidente eleito do Chile

Santiago do Chile, 29 jan (EFE).- O Tribunal Qualificador de Eleições do Chile ratificou hoje a vitória nas eleições presidenciais do direitista Sebastián Piñera, que assim se tornou oficialmente o presidente eleito, se comprometendo a unir e não dividir os chilenos.

EFE |

Piñera anunciou que será um presidente "de união nacional" e que um de seus objetivos será "estabelecer um estilo de Governo moderno, inovador, empreendedor, próximo ao povo (...) e com um sentido de urgência".

O Tribunal Qualificador de Eleições, que por disposição constitucional, deve proclamar o candidato vencedor uma vez finalizada a apuração, informou que Piñera obteve 3.591.183 votos, que correspondem a 51,61% do total de votos emitidos, que foram 7.203.371.

Piñera concorreu nas eleições do dia 17 de janeiro (segundo turno) com Eduardo Frei, candidato da coalizão Concertação, que governou o Chile desde que terminou a ditadura de Augusto Pinochet em 1990.

Na cerimônia se oficializou a ata da eleição, documento que lhe outorga o status de presidente da República, embora passará a exercer sua função quando prestar juramento ao cargo perante o Congresso, no dia 11 de março.

Em seu discurso, o presidente eleito mostrou seu agradecimento aos cidadãos que com seus votos lhe permitiram chegar à Presidência, "a mais alta honra e responsabilidade" que um cidadão pode aspirar, segundo suas palavras.

Reiterou que o país deve realizar uma "nova transição", após a passagem, no começo da década dos anos 90, do regime militar liderado pelo general Augusto Pinochet ao Governo democrático de Patrício Aylwin.

"Esta nova transição é tão grande e nobre como a que iniciamos há 20 anos, é a transição jovem, nova, de um país subdesenvolvido para um país que consiga, com muito orgulho e humildade, ser o primeiro país na América Latina que supera a pobreza, disse. EFE gs/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG