Tamanho do texto

Londres, 10 jun (EFE).- Agentes da Scotland Yard (Polícia metropolitana de Londres) foram acusados de submeter suspeitos de tráfico de drogas a técnicas de interrogatório como os afogamentos simulados utilizados pela CIA (Agência de Inteligência americana).

Essas acusações de tortura fazem parte de uma ampla investigação que inclui outros possíveis crimes como falsificação de provas e furto de propriedades dos detidos, informa hoje o jornal britânico "The Times".

Os diretores da Scotland Yard se dizem alarmados com a possibilidade de que alguns de seus agentes tenham recorrido ao tipo de tortura conhecido em inglês como "waterboarding", e que foi aplicado em Guantánamo para arrancar confissões de suspeitos de terrorismo.

Essas acusações se somam ao atual debate sobre a suposta brutalidade da Polícia londrina na repressão das manifestações contra a recente Cúpula do Grupo dos Vinte (G20, os países mais ricos e os principais emergentes) nesta capital.

A Comissão Independente de Queixas da Polícia está investigando as acusações contra seis agentes que realizaram em novembro do ano passado batidas nas casas de supostos traficantes de drogas em Londres.

A Polícia disse haver descoberto grandes quantidades de maconha e os suspeitos foram acusados de importação de entorpecentes, mas o caso foi abandonado com o argumento de que continuá-lo não teria beneficiado o interesse público.

Segundo o "Times", existe a suspeita de que o processo, caso continuasse, teria evidenciado as supostas práticas de tortura aplicadas pelos agentes.

Nenhum dos agentes em questão foi detido, mas a Comissão de Queixas da Polícia confirmou que vão ser interrogados em relação ao possível crime. EFE jr/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.