Guardian - Mundo - iG" /

Scolari já estava a beira do abismo, diz Guardian

Mesmo sendo vista amplamente como inesperada, a demissão de Luiz Felipe Scolari após apenas sete meses como técnico do clube inglês Chelsea, causou pouca surpresa nos jornais britânicos. No final, a única surpresa foi o momento escolhido, diz o Guardian .

BBC Brasil |

Segundo o jornal, Scolari "estava à beira do abismo já havia algumas semanas", mas a expectativa era de que o clube "daria ao técnico a chance de manter suas esperanças de conquistar pelo menos um grande troféu na sua temporada de estreia no futebol inglês", dando-lhe apoio para as oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa.

O empate sem gols em casa no sábado passado com o modesto Hull teria sido "a gota d'água", segundo o jornal. "Frustrados, vários setores da torcida (do Chelsea) cantavam que Scolari não sabia o que estava fazendo. Alguns dos principais jogadores do time devem ter mordido os lábios para não se juntar ao coro", diz o jornal.

"Scolari perdeu a confiança dos jogadores, principalmente pela falta de compreensão do rigor necessário na preparação dos jogadores para a longa temporada inglesa", diz o texto. "O que começou como um pequeno alarme acabou ganhando força com a chegada do inverno e ameaçou virar um motim."
Segundo o Guardian
, o clima no vestiário era de "desilusão, em especial entre os jogadores estrangeiros".

O jornal diz que os jogadores teriam ficado surpresos com o "regime de treinos relaxado de Scolari", e que muitos ficaram insatisfeitos com a falta de "estratégias alternativas" no momento em que a equipe não vinha bem.

"Scolari fracassou em encontrar um plano B, ao se recusar terminantemente a escalar Anelka e Drogba juntos no ataque", diz o jornal.

Segundo o jornal The Independent
, vários jogadores também não puderam entender a persistência de Scolari com (o meia-esquerda francês) Malouda, e com sua "aprovação da dispensa de Wayne Bridge, que muitos consideravam bem melhor que Malouda".

A exemplo do Guardian
e de outros jornais, o Independent
sugere a existência de "um grupo de jogadores mais experientes" que teria ficado contrariado com Scolari, apesar de o brasileiro ser visto como "um cara decente".

"Comparações desfavoráveis foram feitas com (o técnico José) Mourinho", diz o jornal.

Outro jornal, o tabloide The Sun
, dá nome aos bois. "Drogba, Ballack e Cech me traíram", teria dito Scolari a um "amigo", ouvido pelo jornal. Para Scolari, os três jogadores, que "de alguma maneira tinham uma linha direta com (o dono do clube , o oligarca russo Roman) Abramovich, viraram meus inimigos", diz o jornal.

Já o Daily Telegraph
faz um balanço mais positivo do curto reinado de Scolari no Chelsea, dizendo que no início da temporada o "Chelsea jogou de forma soberba, ganhando nove jogos fora de casa e recebendo elogios pela forma como (os laterais avançados) Cole e Bosingwa avançavam pelas pontas".

O Chelsea não tinha jogadores novos e Scolari teve que lidar ainda com "a ausência de jogadores-chave como Michael Essien e Joe Cole".

"Scolari parecia um maestro tentando conduzir uma orquestra desfalcada com uma mão nas costas", diz o jornal.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG