Tamanho do texto

As autoridades na província de Jizan, na Arábia Saudita, estão investigando um integrante da polícia religiosa saudita acusado de ter seis esposas, quando a lei permite apenas quatro.

Segundo o jornal saudita al-Watan, o homem de 56 anos foi preso na província de Jizan, perto da fronteira com o Iêmen. O jornal afirma que três das esposas são sauditas e as outras três, iemenitas.

O acusado negou que todas elas sejam suas esposas - ele afirmou que se divorciou de duas delas e é casado apenas com as quatro permitidas por lei.

Tratamento igual

Segundo a lei islâmica, as quatro esposas devem ser tratadas igualmente pelo marido.

Os integrantes da polícia religiosa da Arábia Saudita podem impor a severa interpretação do Islã na Arábia Saudita, principalmente no que diz respeito ao relacionamento entre os sexos.

Em junho, o Ministério Saudita de Assuntos Sociais apresentou a proposta de tornar obrigatório um curso para noivos.

O curso visa diminuir o crescente número de divórcios entre os sauditas, principalmente entre os casais mais jovens.

Especialistas afirmam que o divórcio freqüentemente prejudica mais a mulher, pois é muito difícil para uma saudita conseguir um segundo casamento.

Leia mais sobre islamismo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.