Saúde de dissidente cubano em greve de fome se agrava

Havana, 28 mar (EFE).- A saúde do dissidente cubano Guillermo Fariñas, há mais de um mês em greve de fome, piorou por uma infecção grave contraída através do cateter pelo qual é alimentado, disse hoje à Agência Efe sua mulher, Clara Pérez.

EFE |

"Ele apresentou febre alta no sábado, estão aplicando um antibiótico e é preciso esperar seu efeito", explicou Clara no hospital da cidade de Santa Clara onde Fariñas está na unidade de terapia intensiva.

O psicólogo e jornalista, de 48 anos, foi hospitalizado há duas semanas, após sofrer a segunda crise desde que iniciou a greve de fome. O protesto é para pedir ao Governo Raúl Castro a libertação de 26 dissidentes que, segundo a oposição, estão doentes.

De acordo com Clara Pérez, Fariñas está consciente, nas últimas horas não teve febre alta, mas tem a pressão muito baixa, o que "é uma complicação". EFE rmo/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG