Saúde de Cristina Kirchner preocupa Argentina

Em meio à ameaça de mais uma recessão na Argentina, os principais jornais do país destacam neste domingo as preocupações com a saúde da presidente Cristina Kirchner. Kirchner está de repouso e adiou para o próximo domingo a viagem que faria a Cuba neste fim de semana. Ela só deve voltar ao trabalho na terça-feira, de acordo com o médico presidencial Luis Buonomo.

BBC Brasil |

O jornal La Nación informa, na sua manchete, que o episódio da quinta-feira "foi mais grave do que se comunicou oficialmente", que Cristina "desmaiou" e que os médicos avaliaram se era o caso de interná-la.

Mas a presidente teria rejeitado a sugestão de internação, argumentando que não havia necessidade para isso.

Cristina começou a passar mal na última quinta-feira, dia 8, quando seu marido, o ex-presidente Nestor Kirchner, disse, num comício, que o forte calor a "afetara", mas que "não era nada grave".

Altas temperaturas

Naquele dia, Buonomo deu a mesma informação, acrescentando que as altas temperaturas desta época do ano em Buenos Aires tinham levado Cristina a sofrer uma "lipotimia por leve desidratação".

Os médicos, informa o diário, pediram que ela voltasse ao trabalho aos poucos e teriam lhe recomendado, segundo o jornal Clarín, uns dias de descanso, nesta semana, na residência presidencial em Chapadmalal, cerca do balneário de Mar del Plata.

Mas Cristina e seu marido teriam preferido permanecer na residência presidencial de Olivos, que é rodeada por jardins e está a cerca de 40 minutos do centro de Buenos Aires. É de lá que ultimamente Cristina tem realizado seus anúncios oficiais.

O jornal Clarín também informa que Kirchner teve alta e volta ao trabalho a partir de terça-feira, como afirmaram, na noite de sábado, o médico presidencial e o chefe de gabinete (equivalente a chefe da Casa Civil), Sérgio Massa.

"A presidente está recuperada e já lhe dei alta", afirmou o médico ao jornal.

No entanto, o Clarín publica também a sugestão de descanso em Chapadmalal e ainda entrevista com o médico e jornalista Nelson Castro, autor de um livro sobre a saúde das autoridades locais Enfermos de Poder.

'Ar condicionado'

Na entrevista, ele afirma: "Chama a minha atenção que o médico presidencial tenha falado que a lipotimia por desidratação leve tenha sido provocada pelo calor. Não acredito que não exista ar condicionado na residência de Olivos", disse Castro ao jornal.

"Além disso, a presidente tem o hábito de tomar muito líquido, como todos sabem. Por isso, devemos pensar se não existe outra causa (para ela ter passado mal)."
A imprensa local costuma informar sobre os cuidados da presidente com a saúde e a boa forma, como caminhar, comer pouco e tomar muita água.

Colunista do jornal Perfil, Nelson Castro afirma, neste diário, neste domingo, que a lipotimia pode ser resultado de outras causas, como estresse, hemorragias e o uso de medicamentos, como "diuréticos ou ligados à psiquiatria".

A previsão é que depois da viagem a Cuba, Cristina embarque para Caracas, na Venezuela.

Na sexta-feira, o governo venezuelano divulgou comunicado sobre a conversa telefônica entre o presidente Hugo Chávez e Cristina, destacando que Chávez teria ficado satisfeito "ao constatar a plena recuperação do estado de saúde da presidente".

    Leia tudo sobre: cristina kirchner

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG