BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB¿AP), disse nesta segunda-feira que a embaixada brasileira em Honduras está se transformando em uma espécie de comite político do presidente deposto, Manuel Zelaya, que está no local desde a última segunda-feira.


Eu acho que direito de asilo o Brasil deveria dar. Não poderia deixar de dar, sobretudo a um homem que foi deposto em um golpe. Mas o que está havendo agora, eu reconheço, é um certo exagero em ocupação da embaixada, de transformar a embaixada em um comitê político, afirma.

O peemedebista também critica o posicionamento brasileiro no caso, no sentido de não respeitar a lei de soberania dos países. "Esse abuso não é bom para o Zelaya e para o Brasil também, alegou.

AFP
Ao lado de seu tradicional chapéu, Zelaya conversa com Sarney

Zelaya e Sarney conversam durante visita do líder ao Brasil, em agosto


Voto de censura e repúdio

O Senado irá examinar o requerimento aprovado na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Casa, que repudia o cerco à embaixada brasileira em Tegulcigalpa e a repressão de manifestantes pró-Zelaya.

Na semana passada, o senador Heráclito Fortes (DEM ¿PI) requisitou o reexame no pedido de votação do documento que pede a intervenção do Conselho de Segurança da ONU e da Organização dos Estados Americanos (OEA) no local.

Leia também:


Leia mais sobre Honduras

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.