O presidente francês, Nicolas Sarkozy, chegará ao Rio na próxima segunda-feira, para participar da Cúpula Brasil-União Européia e firmar uma série de acordos com Luiz Inácio Lula da Silva, especialmente na área de Defesa.

A Cúpula no Brasil será a última do líder francês como presidente do Conselho Europeu.

Sarkozy virá ao Brasil com a mulher, a cantora e ex-modelo Carla Bruni, e permanecerá no país até 29 de dezembro, passando alguns dias na casa de familiares da esposa.

O presidente francês viaja com uma delegação de mais de 30 empresários e com os ministros da Educação, Xavier Darcos; Defesa, Hervé Morin; e das Relações Exteriores, Bernard Kouchner.

Também acompanham Sarkozy o secretário de Estado para Assuntos Europeus, Bruno Lemaire, e a secretária de Comércio Exterior, Anne-Marie Idrac.

A Cúpula UE-Brasil será realizada na segunda-feira, com a presença do presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, e analisará temas como crise financeira e mudança climática.

Durão Barroso apoiará a idéia do Brasil de reforçar o peso dos países sul-americanos e dos emergentes na futura arquitetura financeira mundial, revelou um porta-voz da Comissão Européia.

Em relação ao combate ao aquecimento global, cogita-se a assinatura de um contrato entre o Banco Europeu de Investimentos (BEI) e o BNDES para o financiamento de projetos, totalizando 400 milhões de euros.

Os biocombustíveis também estão na pauta do encontro.

Segundo a presidência francesa, a Cúpula também analisará relações comerciais, imigração e reforma das Nações Unidas.

O Brasil quer um assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas e conta com o apoio de França, Alemanha e Grã-Bretanha, mas sofre a rejeição de outros europeus, como Espanha e Itália.

Na terça-feira, Sarkozy se reunirá com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A visita do líder francês suscita várias expectativas comerciais, incluindo a compra de 50 helicópteros e um contrato para a fabricação de quatro submarinos.

A longo prazo, a partir de 2020, a França poderá conceder assistência técnica ao Brasil para a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro.

Os franceses também pretendem participar da construção de uma base de submarinos, vender aviões de combate Rafale, fornecer equipamento digital de emprego militar e ajudar o Brasil no desenvolvimento de sua vigilância de fronteira.

Além disso, o governo francês vê com interesse o projeto de um trem de alta velocidade ligando Rio, São Paulo e Campinas.

Como é comum em suas viagens ao exterior, Sarkozy se reunirá com a comunidade francesa residente no país e assistirá ao concerto de abertura do Ano da França no Brasil.

npk/LR/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.