O presidente francês, Nicolas Sarkozy, propôs nesta terça-feira a seus colegas uma reunião antes do fim do ano sobre a mais grave crise financeira do mundo desde os anos 30, em um discurso na Assembléia Geral das Nações Unidas.

"Estou convencido de que o dever dos chefes de Estado e de Governo dos países mais diretamente envolvidos é se reunir antes do fim do ano para refletir juntos sobre as lições que temos de tirar da crise financeira mais grave desde os anos 30', disse Sarkozy, sem falar na modalidade da reunião proposta.

"Vamos reconstruir juntos um capitalismo normal e regulado no qual setores inteiros da atividade financeira não sejam deixados somente a critério dos operadores do mercado, onde trabalham os bancos. A função dos bancos é financiar o desenvolvimento econômico, mais que a especulação", acrescentou.

Sarkozy defendeu um novo sistema no qual "quem colocar em risco as popupanças das pessoas deve ser casstigado".

O presidente francês propôs ainda a constituição de um "espaço econômico comum que una a Rússia e a Europa".

"É porque a Europa quer a paz que diz à Rússia que quer com ela vínculos de solidariedade, que quer construir com ela um futuro compartilhado, que quer ser sócia. Porque não constrir, a escala de todo o continente, um espaço econômico comum que una a Rússia e a Europa?", perguntou Sarkozy, atual presidente da União Européia (UE).

pa/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.