Sarkozy propõe conferência internacional sobre o Haiti

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, anunciou nesta quinta-feira que irá propor a realização de uma conferência internacional para a reconstrução e o desenvolvimento do Haiti, devastado pelo terremoto ocorrido na última terça-feira. Vou propor ao presidente Obama, com quem conversarei nas próximas horas, que os Estados Unidos, o Brasil, o Canadá e outros países tomem a iniciativa de convocar uma grande conferência internacional para a reconstrução e o desenvolvimento do Haiti, declarou.

BBC Brasil |

Sarkozy afirmou que irá conversar também com o presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, e o primeiro-ministro do Canadá, Stephan Harper.

"Vamos trabalhar estreitamente com a União Europeia para mobilizar grandes meios e reconstruir esse país", afirmou.

"O Haiti não tem vocação para ser um país mártir. Essa nova tragédia pode ser a última se a comunidade internacional se mobilizar para ajudar esse país", disse o líder francês.

Visita
As declarações de Sarkozy foram feitas no final da tarde desta quinta, após uma reunião com os principais ministros do governo francês para discutir a grave situação no Haiti.

Sarkozy anunciou ainda que irá a Porto Príncipe país "nas próximas semanas".

Segundo o líder francês, a catástrofe haitiana deve representar "uma ocasião para a reconstrução global do país".

De acordo com estimativas da Cruz Vermelha, 50 mil pessoas podem ter morrido na tragédia.

Sarkozy também confirmou nesta quinta-feira a morte de dois franceses no Haiti. Eles trabalhavam em uma empresa francesa que atua na construção de pontes no país, destruídas após a passagem de um ciclone em 2008.

Ajuda
O presidente francês ainda anunciou o envio de dois navios. Um deles, que está na Martinica, vai transportar máquinas escavadeiras.

O outro, o navio Sirocco, levará duas salas de cirurgias e 50 leitos hospitalares, além de dois helicópteros Puma para transferir os feridos rapidamente para a Martinica.

A França não liberou recursos financeiros diretos (a Comissão Europeia anunciou uma ajuda de emergência de 3 milhões de euros), mas o governo francês já enviou quatro aviões ao Haiti com equipes de resgate, médicos e material humanitário.

O presidente também anunciou o envio ao Haiti de 400 funcionários franceses da segurança civil "nas próximas 48 horas" para ajudar as populações.

Sarkozy afirmou que "vários franceses continuam desaparecidos, sem dúvida presos nos destroços". Cerca de 60 se encontravam em áreas fortemente atingidas, segundo autoridades da França.

O governo informou que 1,4 mil franceses vivem no Haiti, sendo que 1,2 mil vivem na capital, Porto Príncipe.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG