Sarkozy promete perseguir ETA após assassinato de policial

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, prometeu nesta quinta-feira caçar um grupo de supostos militantes do grupo separatista basco ETA que foi acusado de assassinar um policial próximo a Paris. Durante conversa com policiais, Sarkozy disse que o grupo seria perseguido e punido com extrema severidade.

Reuters |

AFP
Sarkozy participa de encontro com policiais

Sarkozy participa de encontro com policiais

"Um dos membros dessa gangue de assassinos está atualmente detido e temos informações relativamente precisas que nos permitirão encontrar seus cúmplices", disse.

O policial Jean-Serge Nerin, de 52 anos, foi morto a tiros na terça-feira em um subúrbio próximo a Paris depois que sua ronda interceptou um veículo que fugia da cena de um roubo de carro.

Um espanhol, supostamente da ETA, foi detido no local e o resto do grupo envolvido no tiroteio ainda está sendo procurado pela polícia.

Acredita-se que Nerin seja o primeiro policial francês a ser morto pelo ETA, que tem sofrido crescente pressão depois de uma série de detenções de altos líderes na Espanha e na França.

"A França não será intimidada por terroristas espanhóis", disse Sarkozy. "A Espanha é uma democracia. Estamos lado a lado com a democracia espanhola e vamos combater os terroristas."

Sarkozy disse que havia conversado por telefone com o rei Juan Carlos e o primeiro-ministro espanhol, José Luis Zapatero, que comparecerá ao enterro do policial na próxima quinta-feira.

Leia mais sobre ETA

    Leia tudo sobre: frança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG