Sarkozy pede tempo para medidas contra crise

Paris, 24 mar (EFE).- O presidente francês, Nicolas Sarkozy, pediu hoje tempo para que os efeitos de seu plano contra a crise econômica possam ser sentidos, durante um discurso na cidade de Saint-Quentin.

EFE |

"Não estamos recebendo tempo. É preciso restabelecer a confiança, e para isso são necessárias regras que ponham fim aos problemas dos últimos 25 anos", afirmou.

Sarkozy assegurou que "a sabedoria e o bom senso" recomendam "paciência" diante da situação, e não reagir "baseando-se na última pesquisa ou na última manifestação", em uma clara referência aos protestos que, segundo os sindicatos, reuniram na quinta-feira passada 3,5 milhões de pessoas em todo o país.

O presidente francês assegurou que se reunirá com os sindicatos "antes do meio do ano" para analisar a situação econômica e, nesse momento, adotará novas medidas caso seja necessário.

Enquanto isso, o presidente assegurou que continuará trabalhando nas reformas, tanto em nível interno como internacional, e afirmou que comparecerá à cúpula do Grupo dos Vinte (G20, os países ricos e os principais emergentes), em Londres, em abril, com a intenção de "impulsionar o combate para moralizar o capitalismo financeiro".

Sarkozy disse que o encontro de Londres "não será técnico, mas político, no qual será preciso decidir se reforma o capitalismo ou se deixa o caminho livre aos que querem derrubá-lo e que destruirão, ao mesmo tempo, a liberdade". EFE lmpg/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG