Sarkozy pede aumento das sanções se o Irã não renunciar a sua atitude

Paris, 27 ago (EFE).- O presidente francês, Nicolas Sarkozy, afirmou hoje que a comunidade internacional não pode aceitar que o Irã obtenha a arma nuclear e defendeu aumentar as sanções em todos os terrenos se esse país não renunciar a sua atitude.

EFE |

O Conselho de Segurança da ONU já ditou três resoluções de sanções contra o Irã, devido a sua recusa em suspender o enriquecimento de urânio.

"Desejo que o diálogo prossiga com o Irã e que seus dirigentes se conscientizem da gravidade" do que está em jogo para seu país e "reflitam sobre o julgamento" das gerações futuras sobre suas decisões de hoje, disse Sarkozy, em discurso sobre política externa ao abrir a conferência anual de embaixadores franceses.

"O Irã tem que escolher. Tudo deve ser feito para convencer Teerã a privilegiar a cooperação sobre o isolamento e o confronto", disse.

Após lembrar que os europeus tomaram a iniciativa no dossiê do programa nuclear iraniano e definiram uma estratégia de "diálogo e sanções", disse que junto aos Estados Unidos, Rússia, e China, devem "manter o rumo com firmeza e determinação e, se não há resposta do Irã, aumentar as sanções em todos os terrenos". EFE al/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG