PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - A França providenciará 270 milhões de euros em dois anos ao Haiti para ajudar a economia da nação caribenha a se recuperar do terremoto que devastou o país em 12 de janeiro, afirmou o presidente francês, Nicolas Sarkozy, nesta quarta-feira. Anunciando a assistência em entrevista coletiva junto ao presidente haitiano, René Préval, Sarkozy disse que a França já havia decidido cancelar a dívida de 56 milhões de euros que o Haiti mantinha com seu país logo após o terremoto.

Sarkozy fez um discurso após chegar à capital Porto Príncipe na primeira visita de um chefe de Estado francês à ex-colônia francesa.

"Vim dizer ao povo haitiano que não está sozinho", disse.

A assistência francesa inclui o fornecimento de mil barracas e 16 mil lonas para ajudar no abrigo de 200 mil pessoas durante o período de chuvas, que começa geralmente no fim de março ou abril.

O terremoto do mês passado matou mais de 200 mil pessoas e deixou mais de 1 milhão desabrigadas.

A França também providenciará 10 especialistas para trabalhar junto ao primeiro-ministro haitiano e sua equipe nos esforços de reconstrução durante dois anos. Outros especialistas assumirão missões de curto prazo.

O governo francês prometeu realizar um estudo preparatório para reconstruir o Palácio Presidencial de Porto Príncipe, que desabou parcialmente durante o terremoto.

Sarkozy fez a declaração no próprio terreno do palácio.

Além de visitar um hospital de campo francês na capital Porto Príncipe, Sarkozy pretende, com sua visita, virar a página na longa história de relações difíceis entre a França e o Haiti, que conquistou sua independência em 1804, após uma revolta sangrenta dos escravos contra seus senhores.

Os doadores internacionais querem apoiar a recuperação de longo prazo do Haiti, na tentativa de arrancar o país mais pobre das Américas de um ciclo de miséria e instabilidade política.

O presidente francês deve se reunir com líderes do Haiti para oferecer o apoio financeiro da França a um plano de recuperação e reconstrução pós-terremoto que está sendo traçado por doadores estrangeiros e o governo haitiano.

Economistas do Banco Interamericano de Desenvolvimento estimam que o custo de reconstruir o Haiti após o terremoto possa chegar a quase 14 bilhões de dólares, o que faz do terremoto de janeiro, em termos proporcionais, a catástrofe natural mais destrutiva dos tempos modernos.

O presidente haitiano, René Préval, que na segunda-feira recebeu o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, disse que seu governo está discutindo a criação de um fundo comum para a recuperação do Haiti, a ser administrado em conjunto com os doadores.

O presidente da República Dominicana, Leonel Fernández, estimou que o fundo pode chegar ao total de 10 bilhões de dólares ao longo de cinco anos. Outros líderes dizem que será preciso uma década para reconstruir o Haiti.

(Reportagem de Pascal Fletcher)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.