Sarkozy libera 580 milhões de euros para aliviar tensão na Guadalupe

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, anunciou nesta quinta-feira uma verba de 580 milhões de euros para os departamentos de ultramar assolados por uma grave crise social, e pediu calma na ilha da Guadalupe, submersa no caos.

AFP |

No dia seguinte à morte de um sindicalista, primeira vítima do conflito, o chefe de Estado recebeu em Paris os representantes de ultramar para tentar aliviar uma tensão que cresce a cada dia.

"Hoje, temos o dever de escutar nossos compatriotas, mas também de trazer de volta a paz civil o mais rápido possível. A liberdade dos guadalupenses e dos martinicanos está cerceada, e isso deve acabar", declarou Sarkozy, antes de anunciar que viajará a Guadalupe "assim que a situação melhorar".

O presidente francês também anunciou uma verba suplementar de 580 milhões de euros para os departamentos de ultramar (DOM), que deverá ser utilizada para financiar o aumento dos salários exigido pelos grevistas.

O conflito que começou em 20 de janeiro em Guadalupe atingiu a ilha vizinha de Martinica no início de fevereiro e ameaça chegar à ilha da Reunião, no Oceano Índico, onde uma greve foi convocada para o dia 5 de março.

Os DOM são afetados por vários problemas sociais. O desemprego é superior a 20%, e os preços dos principais bens de consumo, em maioria importados da França metropolitana, são muito elevados.

A situação permanece muito tensa em Guadalupe. Na madrugada desta quinta-feira, as forças da ordem foram alvo de cinco tiros de fuzil em Gosier, uma localidade turística a 5 km da capital Pointe-à-Pitre. Ninguém foi ferido.

Além disso, a prefeitura de Sainte-Rose, no norte da ilha, foi invadida e vandalizada por manifestantes.

No total, 39 pessoas foram detidas durante a madrugada na Guadalupe. Duas grandes lojas, dois restaurantes e uma concessionária de veículos foram incendiados.

bur/cd/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG