Paris, 7 jan (EFE).- O presidente francês, Nicolas Sarkozy, expressou sua grande satisfação após saber que as autoridades israelenses e palestinas respaldaram o plano franco-egípcio para deter os combates na Faixa de Gaza.

"O presidente comemora profundamente pela aceitação, por parte de Israel e da Autoridade (Nacional) Palestina, do plano franco-egípcio apresentado ontem em Sharm el-Sheikh", afirma o Palácio do Eliseu, em um breve comunicado.

Nicolas Sarkozy, conclui a nota, "pede o início deste plano o mais rápido possível, para que pare o sofrimento da população".

O ministro de Exteriores francês, Bernard Kouchner, apresentou ao Conselho de Segurança da ONU a iniciativa franco-egípcia, que inclui a abertura de um diálogo com a participação da Autoridade Nacional Palestina (ANP), destinado a adotar todas as medidas necessárias para deter a violência.

Horas depois da divulgação do plano, Israel anunciava sua decisão de interromper os bombardeios a Gaza durante três horas - das 13h (9h de Brasília) até as 16h (12h de Brasília) - e abrir um corredor humanitário que permita o abastecimento da população.

Este anúncio representa "um primeiro passo positivo", disse hoje à imprensa o porta-voz do Ministério de Exteriores francês, Eric Chevallier, que considerou fundamental o fato de que a ajuda humanitária possa chegar à população civil mais necessitada.

Após a ajuda chegar a seus beneficiados, acrescentou, o plano franco-egípcio prevê outras medidas para conseguir "uma autêntica cessação dos combates" e permitir "uma melhora real da situação humanitária em Gaza". EFE pi/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.