Sarkozy e Carla Bruni podem ser pais em plena campanha presidencial

Primeira-dama francesa nega-se a confirmar gravidez, que poderia ajudar índices de popularidade do presidente

iG São Paulo |

A declaração do pai de Nicolas Sarkozy, Pal Sarkozy , de que Carla Bruni realmente estaria grávida confirmou nesta terça-feira o boato que circulava em Paris há semanas e indica que a primeira-dama e o presidente francês deverão ser pais em breve, no início da campanha presidencial francesa para 2012.

Reuters
A primeira-dama da França, Carla Bruni, chega para lançar sua fundação de combate ao analfabetismo no museu de arte moderna Centre Pompidou, em Paris
Nicolas Sarkozy, 56 anos, poderá ser o primeiro presidente a ter um filho no exercício do mandato na história da República francesa. Ele já tem três filhos de dois casamentos anteriores: Pierre, 26 anos, e Jean, 25, frutos do casamento com Marie Dominique Culioliu, e Louis, 14 anos, da segunda esposa Cecilia Ciganer Albeniz.

Carla Bruni, 43 anos, com quem se casou em fevereiro de 2008, tem um menino de 10 anos, Aurelien, fruto de uma relação anterior com o professor de filosofia francês Raphael Enthoven.

A confirmação da gravidez e da futura paternidade presidencial veio da Alemanha, com o pai de Sarkozy. "Estou feliz com a chegada do meu neto", disse Pal Sarkozy ao jornal alemão Bild, o mais lido da Europa, antes de afirmar que o filho e a nora não querem saber o sexo do bebê. "Mas tenho certeza de que será uma menina tão linda como Carla", declarou o avô.

O pai de Nicolas Sarkozy não informou de quantos meses estaria grávida a esposa do presidente, mas segundo uma fonte do Palácio do Eliseu, sede da presidência francesa, Carla Bruni daria à luz em outubro e estaria, portanto, no quarto mês de gravidez.

A informação, revelada na edição de 22 de abril da revista Closer, era alvo de especulações, já que nem o Palácio do Eliseu nem Carla Bruni confirmaram ou desmentiram a notícia.

Cannes

Os rumores se intensificaram na semana passada, quando a ex-modelo, que aparece brevemente no filme Meia-Noite em Paris, do cineasta americano Woody Allen, anunciou que não compareceria à exibição do longa-metragem no Palácio dos Festivais de Cannes .

Na segunda-feira, a primeira-dama francesa concedeu uma entrevista ao canal TF1, durante a qual falou sobre um programa de combate ao analfabetismo estimulado por sua fundação. Ao fim da entrevista, o apresentador do telejornal Jean Pierre Pernaut a parabenizou, mas sem explicar o motivo. E em uma resposta incompreensível para os telespectadores, Carla Bruni disse: "Eu também o felicito".

A atual discrição do casal presidencial é bem diferente da maneira como Sarkozy iniciou o relacionamento com Carla Bruni. A relação passou a ser de conhecimento público depois que foram publicadas fotos dos dois no parque de diversões Eurodisney, nas proximidades de Paris. Semanas mais tarde, a imprensa divulgou imagens do casal na Jordânia, em um passeio com o filho da modelo.

A menos de um ano das eleições presidenciais, Sarkozy ainda não anunciou formalmente se disputará a reeleição, mas o mundo político já considera isso um fato. Sarkozy, que chegou ao poder em maio de 2007, começou a perder popularidade no ano seguinte. Há dois anos sua aprovação oscila em 30%.

A saída imprevista da corrida presidencial do grande favorito socialista Dominique Strauss-Kahn, indiciado nos Estados Unidos por agressão sexual e tentativa de estupro, reforça as chances de Sarkozy de permanecer no poder, sobretudo agora que, como destaca a imprensa, pode ter a imagem de "futuro pai de família com os laços sagrados do matrimônio".

*Com AFP

    Leia tudo sobre: nicolas sarkozyfrançacarla brunigravidez

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG