Paris, 16 jan (EFE).- O presidente da França, Nicolas Sarkozy, disse hoje que o programa nuclear iraniano não tem nenhuma finalidade civil, e denunciou os progressos no enriquecimento de urânio que Teerã está conseguindo.

"A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) ressalta os progressos rápidos e preocupantes do programa de enriquecimento iraniano, que todo mundo sabe que não tem nenhuma finalidade civil", disse Sarkozy, em discurso diante dos embaixadores na França.

O presidente francês avisou às autoridades iranianas que devem escolher entre "provocar um grave confronto com a comunidade internacional" ou "chegar a uma solução negociada".

Para Sarkozy, estas negociações duraram tempo demais, cinco anos, por isso disse que "são os dirigentes iranianos que devem agora escolher" entre as duas possibilidades.

O presidente francês se mostrou convencido da vontade da comunidade internacional, "incluindo os Estados Unidos, de prosseguir em um diálogo direto e aberto para buscar um acordo".

Paris considera que o Irã deve oferecer as garantias necessárias à comunidade internacional e aos países da região de que não continua o enriquecimento de urânio, para poder obter vantagens de cooperação política e econômica.

Sarkozy colocou o Irã como um dos desafios da diplomacia mundial para este ano, junto com outros que englobou no que chamou de "arco da crise do Oriente Médio até o Paquistão".

No caso da crise na Faixa de Gaza, o presidente francês disse que um acordo para um cessar-fogo está "próximo" e se mostrou disposto a voltar à região para ajudar na conclusão do conflito.

Sarkozy pediu o envolvimento de toda a comunidade internacional na resolução dessa crise e expressou seu desejo de que o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, "envie um sinal forte do compromisso americano" nesse conflito.

O presidente francês indicou que a intervenção israelense em Gaza "não reforça a segurança de Israel", enquanto provoca "uma tragédia humanitária, inútil e sanguinária". EFE lmpg/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.