Sarkozy diz que desembarque aliado marcou início da paz na Europa

Paris, 6 jun (EFE).- O presidente francês, Nicolas Sarkozy, afirmou que o desembarque aliado na Normandia, cujo 65º aniversário é lembrado hoje, foi a origem da paz na Europa e marcou o exemplo dos valores do mundo ocidental.

EFE |

"O que teria acontecido se não tivessem vencido? Dessa luta nasceu a Europa. Fizemos a paz e construímos a Europa. Devemos isso aos que deram a vida nessa batalha. Todos os que lutaram contra o nazismo e o fascismo o fizeram por um sonho de liberdade", afirmou Sarkozy.

O presidente francês presidiu a cerimônia no cemitério americano de Colleville-sur-Mer, na Normandia, junto com seu colega americano, Barack Obama, os primeiros-ministros do Reino Unido, Gordon Brown, e do Canadá, Stephen Harper, além do príncipe Charles.

"A melhor homenagem que podemos fazer é continuar lutando pelos valores pelos quais eles lutaram", afirmou Sarkozy.

O chefe do Estado francês, que se dirigiu aos mais de nove mil convidados presentes, 200 deles veteranos do desembarque na praia de Omaha, assegurou que os desafios atuais "são de natureza diferente, mas não menos graves".

Citou entre eles a mudança climática, a fome no mundo, o fanatismo e o terrorismo e as ameaças aos direitos humanos.

"Nos ensinaram que nunca mais vamos querer a guerra. Nunca devemos esquecer seu sofrimento. Devemos lembrar de seu sonho de liberdade, justiça e paz", assegurou.

Sarkozy mostrou "a emoção" do povo francês diante dos nove mil túmulos de soldados americanos que morreram naquela batalha para salvar o país da invasão nazista e agradeceu "o compromisso" dos britânicos e dos canadenses "que lutaram pela liberdade longe de suas casas".

"Em nome da França, presto homenagem aos que derramaram seu sangue na Normandia. Não os esqueceremos. Lutaram por uma causa que sabiam que era maior que sua própria vida. Ninguém recuou. A França não esquecerá nunca", afirmou.

O presidente francês rendeu uma homenagem particular a Obama, porque o avô do chefe de Estado dos EUA perdeu a vida na batalha da Normandia seguinte ao desembarque.

"O senhor é, por sua condição e por seu sangue, um símbolo dos EUA que amamos, que defende os valores morais, que luta pela liberdade, a democracia e os direitos humanos", assegurou. EFE lmpg/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG