Sarkozy defende reforço de sanções se Irã não mudar política nuclear

Paris, 26 ago (EFE).- O presidente francês, Nicolas Sarkozy, se mostrou hoje favorável a um reforço muito substancial das sanções impostas ao Irã, se as autoridades do país não mudarem a política em relação a seu programa nuclear.

EFE |

"Se o Irã não mudar sua política, se colocará claramente a questão de um reforço muito substancial das sanções", declarou Sarkozy, em seu discurso de abertura da conferência anual de embaixadores franceses.

A comunidade internacional acusa o regime iraniano de ocultar, sob seu programa nuclear civil, outro de caráter militar, cujo objetivo seria a aquisição de armas atômicas.

O grupo formado por Rússia, Estados Unidos, Reino Unido, França, China e Alemanha tentar chegar a um acordo com Teerã para pôr fim ao programa nuclear iraniano e, segundo o líder francês, está preparado para dialogar a qualquer momento, mas "é preciso um interlocutor que esteja disposto a negociar seriamente".

Até o momento, acrescentou Sarkozy, não há "nenhuma resposta positiva a nossas propostas".

O problema da questão nuclear no Irã se soma à crise política gerada após a polêmica reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, segundo Sarkozy.

As mesmas autoridades "nos dizem que o programa nuclear é pacífico e que as eleições foram honestas. Quem pode acreditar?", acrescentou. EFE pi/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG