Sarkozy cede a grevistas e anuncia reunião com sindicatos

Paris, 29 jan (EFE).- O presidente da França, Nicolas Sarkozy, anunciou hoje que se reunirá no mês que vem com os sindicatos do país, que hoje promoveram uma greve geral em todo o território, acompanhada por manifestações que atraíram mais de um milhão de pessoas em 200 cidades.

EFE |

Num comunicado, o presidente assegurou entender a "preocupação legítima" dos cidadãos ante a atual crise, "de uma amplitude sem precedentes" e "que afeta a economia mundial".

"Neste período particularmente difícil, nossos cidadãos temem por seu emprego", afirmou Sarkozy, segundo quem "os poderes públicos devem ouvir, dialogar e estar muito dispostos a atuar".

Por isso, o presidente destacou que, ao longo do próximo mês, se reunirá com as organizações sindicais e patronais para negociar "o programa de reformas para 2009 e os métodos para colocá-lo em andamento".

Esse diálogo era uma das reivindicações dos oito sindicatos que convocaram para hoje uma greve geral em todo o país, a primeira no mandato de Sarkozy e que, segundo a Polícia e os organizadores, atraíram entre um milhão e 2,5 milhões de manifestantes.

"A França deve sair fortalecida desta prova", disse Sarkozy, que agradeceu aos trabalhadores do setor público que mantiveram os serviços funcionando em seu nível mínimo. EFE lmpg/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG