EUA dizem que reunião ministerial sobre programa nuclear iraniano é incerta" / EUA dizem que reunião ministerial sobre programa nuclear iraniano é incerta" /

Sarkozy aposta em aumentar pressão sobre o Irã por programa nuclear

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, apostou nesta terça-feira em aumentar a pressão sobre o Irã até que o país deixe de enriquecer urânio e advertiu do perigo que seria ignorar o potencial militar do programa nuclear da República Islâmica. http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/09/23/eua_dizem_que_reuniao_ministerial_sobre_programa_nuclear_iraniano_e_incerta_1934889.html target=_top EUA dizem que reunião ministerial sobre programa nuclear iraniano é incerta

EFE |

"Um dia, acordaremos com uma grande surpresa e ninguém poderá dizer que não sabíamos que isso ia acontecer", disse o presidente francês em coletiva de imprensa após discursar perante a 63ª sessão da Assembléia Geral da ONU.

Sarkozy disse que o Conselho de Segurança da ONU deveria adotar uma nova rodada de sanções contra o Irã se esse país não colaborar plenamente com a comunidade internacional para assegurar que seu programa nuclear é exclusivamente civil.

"A França está disposta a ajudar o Irã a conseguir desenvolver fontes de energia nuclear, mas o que é inaceitável é que consiga armas nucleares", destacou.

Ele pediu para Rússia e China, os outros membros permanentes do Conselho de Segurança junto com França, Estados Unidos e Reino Unido, se envolverem para evitar um Irã armado com uma bomba nuclear.

Sarkozy assegurou que buscou a ajuda do presidente da Síria, Bashar al-Assad, para que utilize sua influência em Teerã em favor de conseguir uma saída diplomática à disputa gerada pelo programa nuclear iraniano.

No entanto, não se mostrou disposto a se reunir pessoalmente com o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, apesar das declarações deste último manifestando sua vontade de conversar com líderes ocidentais.

"É muito difícil para mim estender a mão a alguém que diz que é preciso apagar Israel do mapa, (porque) tenho princípios e para mim é inaceitável", assegurou.

A França se reunirá na próxima quinta-feira em Nova York junto aos outros quatro membros do Conselho, além da Alemanha, para discutir a situação da disputa com o Irã e, daí, possíveis passos a serem tomados.

    Leia tudo sobre: frança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG