Sarkozy anuncia série de medidas para lutar contra déficits

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, apresentou nesta sexta-feira uma série de medidas que tem como objetivo permitir ao país economizar 7 bilhões de euros daqui a 2011.

AFP |

Num momento em que a França vê seus déficits aumentarem de forma preocupante, o chefe do estado anunciou um plano de "modernização das políticas públicas".

No entanto, as economias previstas são relativamente modestas: as despesas públicas do país se elevaram a cerca de 1 bilhão de euros em 2007, e a dívida chega a 1,2 bilhão de euros.

Estas novas medidas foram anunciadas num momento em que a França se prepara para assumir em junho a presidência rotativa da União Européia, com a qual se comprometeu a voltar para um "déficit zero" ao mais tardar em 2012, um objetivo que parece cada vez mais difícil de alcançar, segundo especialistas.

"Chegou a hora de reformar o Estado. Trata-se de uma etapa indispensável para a modernização do aparelho de Estado. Não é uma questão de direita ou de esquerda", afirmou Sarkozy nesta sexta-feira.

"Não são as economias que fazem a reforma, mas é a reforma que permitirá economias. Esta é a diferença entre rigor e reforma", destacou, respondendo à oposição socialista que o acusa de querer impor uma política de rigor aos franceses.

A esquerda também lembrou que Sarkozy aprovou recentemente um pacote fiscal de inspiração liberal em virtude do qual o Estado francês deixa de ganhar cerca de 15 bilhões de euros.

De acordo com o dirigente, "o equilíbrio das finanças em 2012 é possível sem afetar a eficiência de nossas políticas públicas".

Uma das principais medidas anunciadas nesta sexta-feira se refere aos funcionários: 50% dos agentes dos Estado que se aposentarão não serão substituídos a partir de 2009.

O plano de "modernização das políticas públicas" inclui dezenas de outras medidas de economia para racionalizar por exemplo a formação profissional, ou a organização do Exército.

Sarkozy também sugeriu "uma melhor adaptação de nossa presença diplomática ao século XXI". Cerca de 30 embaixadas seriam assim transformadas em postos de presença diplomática simples.

Este relatório detalha várias medidas como a supressão de todos os dispositivos favorecendo as saídas antecipadas dos funcionários, a luta contra as fraudes nas ajudas sociais, uma melhor organização dos hospitais, a reforma da carteira de motorista, e a instalação de uma fiscalidade favorável ao meio ambiente.

"Nenhum ministério ficará de fora da necessidade da reforma", prometeu Sarkozy, expressando o desejo de que seja formado "um grande órgão de auditoria das políticas públicas".

A França acaba de elevar para 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) sua previsão de déficit público para 2008. O pacto de estabilidade concluído entre os membros da zona euro autoriza um máximo de 3%.

O governo, que segue afirmando que a França resiste melhor à cirse financeira que seus parceiros europeus, também diminuiu suas previsões de crescimento para 2008, apostando agora num número entre 1,7% e 2%.

npk/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG