Sarkozy ameaça deixar reunião do G20 se não houver acordo

PARIS (Reuters) - O presidente francês, Nicolas Sarkozy, ameaçou deixar o encontro dos líderes do G20 em Pittsburgh, na próxima semana, se não houver acordo sobre bônus de banco, afirmou o jornal Le Figaro nesta segunda-feira. Se não houver uma decisão concreta, deixarei o encontro, disse Sarkozy segundo o jornal.

Reuters |

A publicação não descreveu o contexto no qual a declaração foi feita, mas o chefe da equipe de Sarkozy, Claude Gueant, disse à rádio RTL que o presidente estava "extremamente determinado" a assegurar o acordo.

"Ela deve ser levado a sério", disse Gueant sobre o aviso, que se parece com outras exigências francesas antes das reuniões anteriores sobre a crise internacional.

Sarkozy tem encabeçado um esforço dos líderes europeus para limitar os bônus aos banqueiros e quer convencer o G20 como um todo a adotar uma atitude comum à questão.

Falando a uma rádio francesa, o presidente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, afirmou que os bônus serão uma questão-chave no encontro em 24 e 25 de setembro, ainda que limitar os pagamentos excessivos não sejam a única forma de criar um sistema financeiro mais estável.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG