Paris, 16 jan (EFE).- O presidente francês, Nicolas Sarkozy, considerou hoje que a credibilidade da Rússia e da Ucrânia está em jogo por causa do conflito sobre o gás natural que está deixando sem fornecimento grande parte da Europa.

Em discurso diante dos embaixadores estrangeiros na França, Sarkozy disse que os cidadãos europeus não podem ser "tratados como reféns", por isso reivindicou a "imediata" retomada do envio de gás.

O presidente francês afirmou que a Europa deve "ter um acordo estrutural, estratégico e a longo prazo com a Rússia", país ao qual pediu "clareza".

"Quando se oferece os dois terços do gás de que a Europa precisa, é preciso respeitar os clientes, como os clientes têm que respeitar o fornecedor", afirmou.

Confiante em que "um acordo ao mais alto nível" servirá para solucionar o conflito, Sarkozy defendeu a "unidade" dos europeus nas negociações com russos e ucranianos.

Além disso, Sarkozy apostou em estabelecer um preço médio do petróleo para evitar suas oscilações e garantir a receita aos países produtores.

O presidente francês afirmou que é preciso "estender a mão" aos produtores em um momento no qual o petróleo está a um preço baixo, para dizer-lhes que "os países desenvolvidos estão dispostos a chegar a um acordo para garantir um nível médio aceitável" dos preços.

"Interessa a todo mundo regular os preços das matérias-primas, não só do petróleo ou do gás, de todas", disse. EFE lmpg/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.