Sargento dos EUA pega prisão perpétua por fuzilar iraquianos

Berlim, 16 abr (EFE).- Um tribunal militar do quartel das forças armadas americanas em Vilseck, na Alemanha, condenou hoje à prisão perpétua a um sargento americano pelo fuzilamento de quatro presos iraquianos.

EFE |

O militar americano, de 40 anos, ainda foi degradado e deverá deixar o Exército sem honras, segundo informaram militares da base dos Estados Unidos em território alemão.

A sentença foi dada após cinco horas de deliberação entre os oito membros do júri, que ontem o haviam condenado por ordenar o fuzilamento, com os olhos vendados, de quatro presos iraquianos.

O caso aconteceu no primeiro semestre de 2007, quando um grupo de militares americanos formou um pelotão de fuzilamento como castigo para vingar a morte de três companheiros mortos em ação.

A sentença de hoje é a última entre o grupo de cinco soldados americanos que foram processados nos meses anteriores por este caso.

Os outros quatro foram condenados nos últimos meses a penas de diferentes rigores.

Um deles também pegou prisão perpétua, outro foi condenado a 35 anos de prisão, um terceiro ficará preso apenas oito meses e o quarto, sete meses.

Os cinco militares faziam parte do 18º Regimento de Infantaria do Primeiro Batalhão das Forças Armadas americanas em Schweinfurt, na Baviera, que estava destacado em uma missão de um ano no Iraque.

Em outubro de 2007, a unidade retornou do Iraque para a Baviera e no início do ano passado, a Polícia militar começou a investigar o triplo homicídio. EFE gc/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG