São quase 200 os mortos na tragédia do templo indiano

O número de mortos na tragédia ocorrida na terça-feira em um templo hindu do estado do Rajastão, norte da Índia, subiu para 194, infomaram nesta quarta-feira o chefe da polícia local.

AFP |

No último balanço estabelecido, eram 149 as vítimas do pisoteamento.

A tragédia aconteceu às 6H00 locais no templo de Chamunda, dentro do forte Mehrangarh, onde pelo menos 25.000 peregrinos estavam reunidos para participar em uma festa hindu.

A correria começou quando um muro do edifício desabou, matando vários peregrinos e desencadeando o pânico geral, explicou à AFP o secretário do Interior do estado do Rajastão, S.N. Thanvi.

As pessoas pisoteadas morreram esmagadas ou asfixiadas, segundo fontes oficiais.

A Índia tem população de 1,1 bilhão de habitantes, sendo 80% deles hindus e 14% muçulmanos. Este período do ano está voltado para os preparativos da grande festa hindu das luzes, Diwali, prevista para 28 de outubro, que marca o Ano Novo segundo o calendário religioso.

Em plena época de festividades religiosas, os acidentes são freqüentes em templos lotados de fiéis, onde são praticamente inexistentes as medidas de segurança.

A avalanche humana de Jodhpur é a quarta deste ano na Índia.

No início de agosto, 150 hindus morreram pisoteados nas mesmas condições em um templo do estado de Himachal Pradesh (sul), depois que começaram a circular boatos sobre um deslizamento de terra na região.

Um mês antes, seis peregrinos morreram durante uma festa hindu com um milhão de fiéis no estado de Orissa (leste). Outros nove faleceram em março no centro do país em uma correria de 100.000 pessoas.

A pior correria aconteceu em janeiro de 2005 durante uma peregrinação hindu em Satara, 300 km ao sul de Mumbai, na qual morreram 257 pessoas.

str/fp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG