O departamento rebelde de Santa Cruz, o mais rico da Bolívia, lutará para alcançar um maior grau de autonomia regional em relação ao governo de Evo Morales, afirmou o presidente do comitê cívico local, Luis Nuñez.

"Vamos lutar por autonomia, como sempre fizemos há mais de 100 anos, não vamos claudicar. O mais importante é a liberdade, a democracia e o estado de direito. Disso não vamos abrir mão", afirmou Nuñez ao jornal El Deber.

"Não vamos negociar sob nenhum conceito o estatuto autonômico regional aprovado em um referendo popular", afirmou, a respeito da votação não reconhecida pelo governo.

A nova Constituição boliviana, respaldada em outra consulta em janeiro com o aval de Morales, reconhece os governos autônomos regionais, mas os cívicos de Santa Cruz desejam o reconhecimento de um estatuto de governo local descentralizado.

O Comitê Cívico de Santa Cruz lidera a mais feroz oposição ao presidente Morales, que defende políticas governistas de cunho indígena e estatal.

jac/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.