Esboço de resolução obtido por agências aumenta "vigilância" ao setor bancário e impede a venda de armamentos pesados ao país

A resolução para impor sanções ao Irã que está sendo discutida no Conselho de Segurança da ONU afeta principalmente o setor bancário e a compra de armas do país, segundo um esboço do texto ao qual agências de notícias tiveram acesso.

De acordo com a Reuters, o documento de dez páginas pede que os países tomem "medidas apropriadas" para impedir a criação de filiais ou escritórios de bancos iranianos suspeitos de ligação com atividades nucleares.

O texto ressalta a "necessidade de vigiar as transações que envolvam bancos iranianos, inclusive o Banco Central do Irã", e determina que os bens de mais integrantes da Guarda Revolucionária sejam congelados.

A AFP informou que o texto também impede que países vendam oito tipos de armamentos pesados para o Irã, entre eles tanques, veículos blindados de combate, aviões e navios de guerra.

Uma autoridade dos Estados Unidos, que não quis se identificar, afirmou à agência que navios iranianos suspeitos de carregarem armas convencionais ou mísseis nucleares poderão ser inspecionados em portos estrangeiros e até em alto mar.

Segundo o jornal americano "The New York Times", mesmo que a resolução seja aprovada pelo Conselho de Segurança, ainda não está claro se causará danos suficientes para forçar o país a parar de enriquecer urânio e dialogar com as potências ocidentais.

Se os 15 membros do Conselho de Segurança aprovarem a proposta, será a sexta resolução do órgão sobre o assunto desde 2006 e a quarta série de sanções contra Teerã. Autoridades americanas ouvidas pela agência EFE disseram que "não há uma data" para a votação do texto, que será realizada "assim que as condições para isso forem apropriadas".

Acordo

O esboço da resolução que circula pelo Conselho de Segurança foi enviado pelo governo do presidente dos EUA, Barack Obama, que anunciou nesta terça-feira ter alcançado um acordo com outras potências mundiais para impor uma nova rodada de sanções contra o governo iraniano por seu controvertido programa nuclear.

O anúncio é um claro repúdio a um acordo alcançado pelo Brasil e Turquia com o Irã na segunda-feira, quando Teerã se comprometeu a enviar seu urânio pobremente enriquecido ao exterior.

“Alcançamos um acordo em um forte esboço de resolução com a cooperação da Rússia e da China", disse a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, perante uma comissão do Senado dos EUA. Segundo ela, o acordo foi alcançado entre todos os membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (EUA, Rússia, China, França e Alemanha) e a Alemanha.

Com Reuters, AFP, BBC e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.