Salman Rushdie recebe desculpas diante de um tribunal por livro difamatório

Londres, 26 ago (EFE).- Salman Rushdie recebeu hoje formalmente desculpas diante do Alto Tribunal de Londres dos autores e da editora de um livro difamatório sobre o período no qual o autor de Versos satânicos passou sob proteção policial.

EFE |

O ex-policial Ron Evans, que trabalhou como motorista da equipe do ramo especial da Polícia responsável por proteger Rushdie enquanto ele esteve ameaçado de morte, fez até 11 falsas alegações contra o autor no livro chamado "On Her Majesty's Service".

O livro devia ter sido lançado no início de agosto, mas sua publicação foi atrasada após aparecerem os primeiros trechos no "The Mail on Sunday" e Rushdie ficar sabendo do conteúdo da obra.

A editora John Blake Publishing Ltd destruiu os 4.000 exemplares impressos após descobrir que a obra continha várias falsidades.

Em suas páginas se afirmava, por exemplo, que a terceira mulher do escritor, Elizabeth, se casou com ele apenas por dinheiro.

O juiz do Alto Tribunal fez hoje uma declaração de falsidade contra Evans, seu colaborador Douglas Thompson e a editora.

Salman Rushdie, que não reivindicou danos e prejuízos, declarou, após escutar a sentença, que este foi "um assunto pouco confortável" e se mostrou satisfeito com o veredicto alcançado.

"Meu único interesse era que resplandecesse a verdade", disse Rushdie, que deu por liquidado o assunto após os autores e a editora reconhecerem suas falsidades e se desculparem. EFE jr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG