Bagdá, 18 out (EFE).- O clérigo radical xiita Moqtada al-Sadr pediu hoje que o Parlamento do Iraque rejeite o acordo de segurança que as autoridades iraquianas e americanas estão negociando.

O apelo foi feito pelo xeque Abdul-Hadi al-Mohammadawi, um dos colaboradores de Sadr, em discurso durante uma grande manifestação em Bagdá, da qual participaram dezenas de milhares de pessoas.

"Esta é uma mensagem para vocês, irmãos do Parlamento. O Governo iraquiano renunciou a suas obrigações ao enviar esse pacto à casa do povo iraquiano (Congresso). É uma vergonha os governantes assinarem um acordo assim", declarou o xeque.

Nesse sentido, Mohammadawi lembrou que esse pacto de segurança é similar aos de Sykes Picot, sobre a partilha entre França e Reino Unido de parte do Oriente Médio, e de Camp David, que abriu as portas para a paz entre Egito e Israel.

Além disso, Sadr afirmou em seu discurso que é "um mentiroso quem diz que o acordo porá fim à ocupação (militar americana) no país ou que devolverá a soberania ao Iraque".

"O ocupante permanecerá em suas bases, e quem diz que (o pacto) devolverá a soberania mente".

Milhares de seguidores de Sadr saíram hoje às ruas de Bagdá para protestar contra o acordo de segurança que as autoridades iraquianas e americanas estão negociando para definir o futuro da presença das forças dos Estados Unidos no Iraque. EFE am/wr/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.