Bagdá, 8 abr (EFE).- O clérigo radical xiita Moqtada al-Sadr decidiu hoje cancelar um protesto convocado por ele para amanhã em Bagdá, que teria o objetivo de expressar a rejeição dos iraquianos à continuação da tropas estrangeiras no Iraque.

O porta-voz do clérigo, Salah Obeidi, disse aos jornalistas que Sadr deve emitir ao longo do dia um comunicado para explicar os motivos da suspensão do protesto.

Hoje, o Ministério do Interior iraquiano tinha pedido aos participantes da manifestação, que coincidiria com o aniversário da deposição do ditador Saddam Hussein, que mantivessem a lei e a ordem durante o protesto.

Sadr tinha pedido a participação de pelo menos 1 milhão de pessoas no protesto, que começaria em Bagdá e terminaria na cidade santa xiita de Najaf, 170 quilômetros ao sul da capital.

A decisão do religioso xiita ocorre horas depois de Obeidi acusar partidos - sem dar nomes, mas presentes na coalizão do Governo do primeiro-ministro Nouri al-Maliki - de "colocar obstáculos para proibir a marcha".

Além disso, o prazo dado por Maliki aos milicianos do Exército Mehdi, leais a Sadr, para que entreguem suas armas em Basra, 550 quilômetros ao sul de Bagdá, terminam hoje.

Fontes policiais disseram que, a partir de amanhã, as forças de segurança começarão uma campanha em Basra, 550 quilômetros ao sul de Bagdá, para apreender armas. EFE am/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.