Saad Hariri será candidato a cargo de chefe de governo no Líbano

Primeiro-ministro disse que levará candidatura adiante, 'apesar de intimidações' do Hezbollah

iG Sâo Paulo |

O primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, confirmou nesta quinta-feira à noite, em um discurso à nação, sua candidatura ao posto de chefe de governo, "apesar das intimidações" do Hezbollah xiita.

"Há um processo constitucional cujo resultado aceitaremos, seja qual for, apesar das intimidações da rua ou outras", anunciou Hariri, com um semblante sério, durante um discurso transmitido ao vivo pela televisão. "Participaremos nas consultas parlamentares com o presidente da República na segunda-feira e continuo comprometido em me apresentar como candidato, segundo decidiu meu grupo parlamentar", acrescentou.

Hairir também acusou o Hezbollah e seus aliados, sem nomeá-los, de querer "fazê-lo sair do tabulerio político" e de "assassiná-lo politicamente".

O Líbano está dividido há meses pelas ações do Tribunal Especial para o Líbano (TSL, na sigla em inglês), responsável por encontrar e julgar os responsáveis pelo assassinato, em 2005, do ex-primeiro-ministro sunita Rafik Hariri, pai de Saad.

O Hezbollah, poderoso movimento armado xiita que teme estar na mira do TSL, retirou no dia 12 de janeiro seus ministros do governo de Saad Hariri, provocando a queda do governo, após pressioná-lo para que desautorizasse o TSL - sem sucesso.

Na segunda-feira, o TSL apresentou a ata de acusação sobre o assassinato de Rafik Hariri, acompanhada de peças investigativas, como parte da enquete sobre o atentado que matou o premiê em 2005 em Beirute.

O anúncio oficial sobre o indiciamento deve ser feito em até dez semanas.

*Com AFP

    Leia tudo sobre: líbanohezbollahoriente médiohairieleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG