Russos criticam Medvedev por não usar cinto de segurança ao dirigir

Moscou, 15 ago (EFE).- Vários cidadãos da Rússia deram entrada em processos na Inspeção Estadual de Segurança de Trânsito para exigir que o presidente russo, Dmitri Medvedev, seja multado por não ter usado o cinto de segurança.

EFE |

Os processos tomam como base uma reportagem transmitida pelos principais canais de televisão russos em 12 de agosto.

Na reportagem, Medvedev, após sair da cafeteria onde assistiu à partida de futebol entre Rússia e Argentina com o primeiro-ministro, Vladimir Putin, entrou em seu 4x4 e deu partida em colocar o cinto de segurança.

O primeiro a entrar com a ação foi Viacheslav Bashkov, secretário de imprensa do Centro Interregional de Direitos Humanos de Ekaterimburgo.

"Estou indignado com a conduta do presidente, que deveria ser exemplo de cumprimento da lei", disse Bashkov ao jornal "Kommersant".

Ele foi respaldado por outros cidadãos russos.

"Entendo que o presidente tenha imunidade e ninguém o multará, mas se ele mesmo admitisse seu erro e pagasse a multa, seria um bom exemplo para os demais motoristas", afirmou ao jornal Oleg Kozyrev, roteirista de Moscou que também entrou com uma queixa na Polícia.

A Polícia de trânsito, enquanto isso, tenta se desvincular do caso.

Vladimir Shevchenko, chefe do Departamento de Propaganda da Polícia de Trânsito, disse ao "Kommersant" que "o comportamento do presidente na estrada não é competência dos inspetores de tráfego, pois da segurança do presidente se encarrega o Serviço Federal de Proteção (SFP)".

Já o SFP tenta se esquivar da responsabilidade também.

Segundo Serguei Deviatov, chefe do centro de relações públicas do Serviço, "as regras de trânsito são as mesmas para todos, e os líderes do país não são uma exceção". EFE mb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG