Rússia venderá urânio aos EUA por um bilhão de dólares

A Rússia assinou nesta terça-feira contratos no total de um bilhão de dólares para o fornecimento de urânio aos Estados Unidos destinado a centrais nucleares civis, os primeiros entre os dois países.

AFP |

A Techsnabexport, companhia encarregada de exportações da Agência Federal Russa de Energia Atômica (Rosatom), assinou os acordos em Moscou com três companhias americanas integrantes do grupo Fuelco, indicou à AFP o porta-voz da Rosatom Serguei Novikov.

"O montante do acordo atinge um bilhão de dólares e se estende entre 2014 a 2020", segundo o porta-voz.

Moscou vendia até então para Washington apenas urânio proveniente das ogivas nucleares que era novamente trabalhado até o estado "fracamente enriquecido" para que pudesse ser utilizado como combustível para os reatores das estações nucleares americanas. O prazo deste contrato de fornecimento de 500 toneladas de urânio expira no final de 2013.

Em fevereiro de 2008, Estados Unidos e Rússia haviam assinado um acordo liberando as exportações de urânio destinado ao mercado americano.

A Rússia também "assinou nesta terça-feira um contrato com a companhia japonesa Chubu" Electric Power para o fornecimento ao Japão de urânio fracamente enriquecido entre 2012 e 2022, indicou o presidente da Techsnabexport, Alexei Grigoriev, pouco tempo depois da assinatura do documento, durante a exposição internacional Atomexpo-2009.

Esse contrato de cerca de 100 milhões de dólares permitirá à Rússia controlar até 2020 cerca de 30% do mercado japonês de urânio fracamente enriquecido, segundo essa autoridade russa.

A fatia russa do mercado de urânio destinado ao setor nuclear civil, que "já chegava a 23%, passará com isso para 25%-30%", graças à assinatura desses contratos, declarou Alexei Grigoriev.

ml/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG